segunda-feira, 15 de junho de 2015

QUEM ACODE A QUEM ?---NUMA “III GUERRA MUNDIAL”

Uma notícia-relâmpago brilhou sobre o fundo-a-negro dos nossos televisores. Primeiro, surgiu inteira, depois a-meias, para finalmente desaparecer num ápice. Uma singularidade que muito me surpreendeu, tendo em conta a monótona e incómoda repetição de certas banalidades noticiosas.
E lá vai o anúncio: “Portugal é o segundo país do mundo com maior percentagem de acolhimento de imigrantes e respectiva integração no meio, logo a seguir à Grécia, que ocupa o primeiro lugar”. No noticiário seguinte, figurou apenas a primeira parte da boa nova: “Portugal é o segundo país  no muindo”… No terceiro noticiário, esfumou-se de vez.
Gostaria de propor aos meus acompanhantes do “dia ímpar” a sua interpretação do texto, tal como hoje aconteceu nos exames a Português sobre outras questões de literatura. Sem mais delongas, a minha interpretação segue, também em três tempos. O primeiro serviria para o governo coligado embandeirar em “V”, mais uma estrondosa vitória contra os detractores do regime: “Nós é que somos os humanistas, os xenófilos, os benfeitores dos desgraçados. Chega-te à frente, Paulinho, ou o teu sucessor, o do Machete, e botem foguetes”.  Mas, logo logo,  vem o segundo tempo: “A seguir à Grécia?...Cruzes, abrenuncio! Compararmo-nos à piolhosa Grécia, isso é que não. Risca lá isso, da Grécia, risca tudo. Ponto final”.
O meu terceiro tempo interpretativo prende-se com o trágico espectáculo das migrações forçadas, quer pela guerra, quer pela fome. Actualmente, são cerca de 50 milhões os refugiados no mundo que habitamos. Mais que na II Guerra Mundial. Razão tem o timoneiro da Barca Apostólica para alertar os Estados face à iminência de uma III Guerra a nível planetário. Com este triste sudário de foragidos, não estaremos já na soturna consumação  de um genocídio silencioso?... E quem acode às vítimas inocentes, gente como nós, com o mesmo pulsar de coração e o mesmo direito â vida? Quem?... Os poderosos, os detentores da riqueza mundial?...Os anjos malditos “refugiados” nos paraísos fiscais? Prevêem  os economistas que em breve 50% da riqueza mundial estarão nas mãos de 1% da população!
Então quem acode quem?  Paradoxalmente, os países mais pobres, os mais sangrados pelos FMI’s, pelos BCE’s e quejandos: Grécia, Portugal, Itália. Espanha. No caso português, nada mais justo que assim se faça: é preciso pagar o preço de uma colonização de cinco séculos. Mas a Grécia, massacrada pela Alemanha nazi, agora mirrada pelas ameaças das “tróikas” ? É ela, mãe da filosofia humanista que inundou a Europa, ela a pobre Grécia, é  quem mais estende os frágeis braços para valer aos que menos abrigo têm…
Tema gritante que vem provar diante dos nossos olhos a insensibilidade das economias capitalistas, cujo apetite devorador consiste em beber rios de dinheiro, mesmo que isso lhes saiba ao sangue, ao  suor e às lágrimas de gente como nós! E é este também o grito lancinante da Itália perante a CE. E deverá ser esta a revolta de quem sente, contra o deboche exterminador dos tais 1% que têm de ser abatidos, como bem profetizou Isaías, para que os montes se abaixem e os abismos se elevam e haja a planura igualitária onde haja lugar para todos.
Em rodapé de página, não desconheço o maranhão de problemas em que está envolvido esta avalanche migratória. Mas ficar calado é crime maior, de lesa-humanidade. Uma coisa é certa: tudo isto vai ser pago! O férreo Império Romano caiu às mãos dos “bábaros”. Atenção!

15.Jun.2015

Martins Júnior