domingo, 1 de novembro de 2015

DIAS GÉMEOS DE OUTONO NA PONTE ROLANTE DO COSMOS



Três dias inseparáveis que reúnem a síntese ímpar da vida: 31 de Outubro - 1 de Novembro - 2 de Novembro. Neles se condensa a viagem do ser humano neste planeta: palmas de vitória e noites de amargura, gestos heróicos e atrocidades sem nome, génios e medíocres, são todos companheiros de jornada até ao “campo santo”, o cais da saudade




Não sei para onde vai a ria
Se para a foz se para a fonte
Só sei que hoje é a travessia
Daquela  ponte
Onde me perco e me encontro
E onde se parte e abraça
O círculo-mistério que traça
E comprime
O que não tem começo nem termo

Vem a terra toda comigo
O canto da cotovia
E o agoiro antigo
Das bruxas nocturnas soturnas
Ventres de ouriços abrindo em  castanhas e nozes
Do pão-por-deus das crianças em festa
E vêm génios farrapos de vozes
Coladas ao vento que as leva
Sem ter ninguém que as guarde

Nos degraus da roda dentada
Há uma tábua que arde
E outra gelada
Estalam foguetes à gargalhada
E gemem os gonzos nos ossos doridos
Nos dedos partidos

É o mundo todo que roda
Na cósmica ponte
Nova barca de Caronte
Rumando ao cais
De onde ninguém volta mais.
Ali entrega viajante e bagagem
Trocam lenços brancos 
Adeus adeus  boa viagem
Torno já  à outra margem
………………………………………………………

Mas um rio
Silencioso corre
Sob o chão frio
Onde se chega e se morre

É o pranto
desta e de outra idade
Que estende o térreo manto
Onde a mão da humanidade
Deixa viver a saudade

31Out.1-2.Nov.15
Martins Júnior