quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

O MELHOR ENTRE OS MELHORES!


       
    Na dinâmica do jogo – e chegados que estamos à pequena área, mesmo no ponto critico da grande penalidade – é inadiável fazer “ a leitura do jogo”, tirar as medidas ao ferro e acertar na baliza que é, como quem diz, no quadradinho do voto.
         Não posso furtar-me  a esse exame das personagens – a minha leitura do jogo – e faço-o neste ultimo e útil dia impar antes do vinte e quatro de Janeiro .
         E já que entrei nesta metáfora do relvado rectangular permitam-me recorrer ao mesmo método das instancias internacionais para, entre todos os planteis nacionais, escolher a selecção ideal, em cujo pódio figuram os melhores.
         Ora, estou eu, estamos nós diante de dez concorrentes ao troféu de Belém. A quantidade neste caso, não belisca a qualidade democrática, ou, mais precisamente, as qualidades de cada um deles. É que todos possuem, se não o carisma, ao menos o cariz para a investidura de Supremo Magistrado da Nação.
Cada qual tem o seu dom diferente do outro. Sendo diverso, não se lhe opõe,  antes o complementa. E o melhor desejo é  repescar os atributos de cada um, monitoriza-los e depois cuidadosamente, à mesa do laboratório, num rigoroso trabalho de pinças,  isolar os melhores genes particulares para cloná-los  até conseguir o produto final, ou seja, o candidato ideal.
         Assim:
 De Edgar Silva, escolheria o ardor patriótico  do combate à pobreza, complementado com a férrea seriedade de Paulo Morais no combate à corrupção.
         De Rebelo de Sousa, recolheria com a inesgotável capacidade  de configurar-se com todas as cores do arco iris – apimentada com a ruralidade sertaneja, fresca e transparente do riso de Vitorino Silva, “ Tino de Rãs”.
         De Maria de Belém, seleccionaria a diáfana feminilidade do seu trato – e doseá-la-ia  com a sisudez aristocrática de Cândido Ferreira.
 De Marisa Matias, ficaria com aquele abraço da mulher camponesa com o internacionalismo operário, que ela bem encarna – e juntar-lhe-ia o contraponto do persistente empresário, personificado em Henrique Neto. No meio enxertaria as células da saudável psicologia de Jorge Sequeira.
          Que excelente puzele   (perdoem-me o anglicismo)  para compor o melhor e o maior de todos os Presidentes de Portugal!
          Mas a verdade é que não se pode ter tudo. Verdade insofismável, confirmada pela geologia, é que às grandes altitudes correspondem grandes abismos. As melhores virtudes, levadas ao estremo, podem redundar em péssimos defeitos. Qui veut faire l’ange fait la bête, já nos advertira Blaise Pascal  ( “quem quer fazer um anjo acaba fazendo um monstro”).
         Por isso que a todas as qualidades do candidato, o que mais importa é o sábio principio de quanto baste:
         Ardor patriótico, q.b. – para não resultar em fanatismo.
         Capacidade adaptativa, q.b. – para não cair em hipocrisia.
         Gentileza, q.b.  - que não signifique debilidade governativa.
         Compostura, q.b.  – para não chegar à arrogância.
         Europeísmo, q.b. – para não perder a soberania.
         Psicologia das multidões, q.b. – para que não se confunda com a massificação demagógica.
         Respeitando os juízes de valor e as opções de quem me lê, uso identificar os q.b., referidos, num único candidato: Sampaio da Novoa. Para o sucesso ou insucesso da minha proposta ela aí fica:
         Sampaio da Novoa é culto, mas não arrogante.
         Sampaio da Novoa é consensual, mas não contraditório.
          Sampaio da Novoa é gentil, mas não subserviente.
          Sampaio da Nevoa é nobre, mas não dominador.
         O feito histórico da fusão da Universidade Clássica com a Universidade Técnica atesta a sua vertente de inteligente negociador, sempre em ordem ao bem comum. Os seus apoiantes não são beneficiários de favores/facturas vencidas ou vincendas.
         A sua missão de educador da juventude universitária  (o capital de um Tempo Novo) confere-lhe o titulo de pedagogo das gentes e “Magnifico Reitor” da Nação Portuguesa.   O melhor entre os melhores.
          Eu sou SNAP!.
         SAMPAIO DA NOVOA À PRESIDENCIA!

21.Jan.16
Martins Junior