segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

PSICOGRAFIA DO DIA BISSEXTO

      Penetrando e divagando no dentro do 29 de Fevereiro, uma abstracção concebida desde o ano 48 a.C. pelo calendário do Imperador romano Juliano, que mais não é  que um acerto de contas, juntando num só dia, o 29, as horas correspondentes a cada ano solar (ano trópico) conjugado com o movimento de translação da Terra.



Eis-me pisando a ponte romana
Mais uma
Em quatro anos de  luta insana
Construída

Outros sóis e outras luas
Moveram a terra e a vida
Para guardá-las compactas cerzidas
No  milenar imaginário
Tabuleiro
De um quadrilátero fevereiro

Mais que  dádiva do calendário
É banco de horas  baía de marés
Que eu sinto percorrer
Debaixo dos meus pés:
Poemas adiados
Sonhos inacabados
Montanhas e oceanos
Que os “julianos”  ponteiros
Da ampulheta do tempo
Prenderam em quatro anos
Para doá-los hoje no texto
Branco breve e bravo
De um vinte e nove bissexto

Quisera eu percorrê-lo com o afã
Da grande maratona
De cada nova manhã

Quisera eu preenchê-lo
Dos vazios que ficaram
No atropelo
Dos dias fugazes
Sem retorno

Quero mais:
Quero as horas os minutos
Dos dias seguintes
Plenos ardentes arfantes
Dêem-me os instantes
Meus
Sem cofres nem juros
Quero presentes os dias futuros
Comidos bebidos
Consumidos no ritmo-poeta
Da genesíaca rotação do planeta

Cada dia quero-o todo inteiro
Dispenso o vinte e nove de fevereiro

29.Fev./1.Mar.16
Martins Júnior