domingo, 27 de março de 2016

A FORÇA QUOTIDIANA DE UM PREFIXO: ---------- Reagir…Reflorescer…Ressuscitar!


Peguei-me hoje com o cardápio dos prefixos. São eles (mais os seus gémeos irmãos, os sufixos) que fertilizam a língua, criando infindáveis gerações de signos,  quando enxertados na palavra-mãe. De entre tantos e tão diversos, fixei-me naquele que este domingo particularmente sugere: o prefixo “Re”.
Compulsando o dicionário ou mesmo citando de cor e a esmo, o prefixo “Re” salta-nos diante dos olhos e, sobretudo, no terreiro das emoções, como o clic mágico que nos desperta e faz abrir manhã no meio da noite escura. Quem não se sentirá movido ao som do timbre de uma  renovação, de um repuxo de água viva, de um resplendor ou de um regresso à juventude existencial? Em subtítulo, dei acima uma trilogia representativa da energia que percorre a dinâmica do nosso ser: Reagir, Reflorescer,  Ressuscitar! Todos estes prefixos mexem connosco, impelem-nos a subir a encosta e a sair da “fossa” depressiva em que um dia cairmos.  
Este retomar do alento que revigora ideias,  músculos e nervos fica todo reintegrado intensamente no vocábulo que dá nome a este domingo: RESsurreição, o mesmo que ressurgir, renascer, reflorir. É um prazer e, ao mesmo tempo, um árduo “fazer”,  um programa de toda a hora, o “pão nosso de cada dia”.  Ninguém pode fazê-lo por nós. Somos nós que fabricamos (ou destruímos) o prefixo que  pode iluminar  muitas vidas: a nossa e a dos outros. Esse prefixo, filão invisível, tem a sua  nascente  (quantas vezes!) na pedra dura do nosso pensar e do nosso sentir, abrindo caminho para aquele Dia Novo que está connosco e, paradoxalmente, tanto tarda.
É a esta luz que vejo o Domingo de Páscoa. Reafirmando a vitória do nosso Cristo, importa ponderar que de nada adiantaria a ressurreição de um cadáver se não fosse maior a ressurreição da sua Ideia. “Serás jovem quanto a tua Ideia”. Não fosse a chama incandescente do pensamento libertador do Crucificado  e  Ele ficaria apenas como estátua de carne física arrumada na prateleira das antiguidades. “A carne mata, o Espírito é que dá vida” -  já o tinha proclamado anos antes. É por isso que a Palavra de Ordem e o apelo à Vida estão consignados no retábulo natural do templo da Ribeira Seca:
“QUEM TIRA JESUS DA CRUZ?...
QUEM O RESSUSCITA?... HOJE!”
 Propositadamente, às duas interrogativas, segue-se o reforço da exclamativa: HOJE! É aqui e agora que, com a Ideia, ressuscitamo-nos globalmente,  Corpo e Espírito. Deste filão inesgotável sai a força quotidiana do prefixo:  Reagir, Reflorescer, Ressuscitar! Em cada gesto, em cada reabrir das nossas pálpebras pousadas no horizonte longe-e-perto que nos chama! Tal como o som e o a alegria pascal das crianças que animaram o nosso Domingo Ressuscitado.
Na ementa deste domingo, ofereço um voto e um abraço: Comam e saboreiem o Prefixo deste Dia!  

27.Mar.16
Martins Júnior