sábado, 19 de agosto de 2017

AO MESTRE DO HOMEM GLOBAL NO CINQUENTENÁRIO ALLELUIA 1967-2017

O Santuário da Senhora dos Remédios, em Lamego, foi o palco privilegiado para o Prof. Doutor Padre Anselmo Borges celebrar o Jubileu Sacerdotal do Cinquentenário da sua Ordenação. Em homenagem ao ilustre Mestre, missionário da “Sociedade da  Boa Nova” em Moçambique, laureado em Roma, Paris e Tubinga  e  Catedrático de Filosofia na Universidade de Coimbra, eminente teólogo na linha do Papa Francisco, transcrevo as palavras que lhe dediquei em 15 de Agosto de 2017:

O Douro das fragas quase infinito
Parou
E o gélido granito
Estremeceu
Quando um Rio Novo irrompeu
Do genesíaco seio de Resende

Mas o Rio Moço tinha mais sede
Que as terras de Resende

E fez-se ao mar
Içou as velas
Estendeu remos
Desafiou estrelas e procelas
Passou além do Bojador
Dobrou o Cabo das Tormentas
Porque o sonho era maior

E fez a ponte
Do Atlântico Mar
Ao Índico Oceano

Ó mítico terro moçambicano
Onde o Rio Novo
Achou aquela foz
Que lhe deu asas

Torna viagem e ruma
À velha Roma
Do Sacro Império severo e austero
Andarilho do Desassossego
Sobe à livre Germânia de Kant e Lutero

Torna viagem
Toca as margens do Mondego
Que tem mais encanto
Nas sábias lições do Mestre
Quando entrelaça o divino e o humano

Depois Madeira
Onde o anel ouro-Douro
É azul marinho sem termo, transfigurado
Ai o Rio Novo
Fez reflorir a Ilha do Basalto

Madeira e Resende
Se uma é o soprano
A outra é o contralto
Do cinquentenário Alleluia
Que Maestro Anselmo compôs
Neste seu, que é o Grande Dia 


Ao Prof. Doutor Padre Anselmo Borges agradeço a honra de ter-me associado a tão expressiva efeméride que reuniu personalidades de primeira água em Portugal, desde escritores, professores universitários, jornalistas e até políticos de diversos quadrantes, os quais marcaram presença genuinamente afectiva, pois que a maior credencial que apresentaram foi a amizade e a consideração para com Anselmo Borges. A mesma razão explica que no altar estivessem, não os dignitários eclesiásticos oficiais, mas os verdadeiros amigos, colegas no sacerdócio, o seu irmão mais velho, o Superior da Sociedade Missionária de Valadares, Frei Bento Domingues e a minha modesta pessoa. Por solidariedade com as vítimas  do Monte, deixei para hoje a presente publicação. Bem haja!

19-Ago-17
Martins Júnior