segunda-feira, 29 de agosto de 2016

MEIA NOITE DADA … E CALARAM-SE AS ARMAS!


Em Agosto findo…o Mundo ficou mais lindo!
Estas e outras rimas, no mesmo tom de clarim argênteo, poderiam  encimar  o Canto Primeiro de uma nova epopeia escrita no horizonte a haver!  Esse amanhã, cujos alvores a meia-noite sul-americana abriu hoje, ganhou forma e fundo no pregão veemente e solene  que o Comandante das FARC, Timoleon Jimenez, o “Timochenko”, lançou  desde Havana, a cidade herdeira da Sierra Mestra: “Ordeno a todas as unidades e a todos os comandos das FARC um cessar-fofo absoluto e  definitivo”.
O pré-acordo assinado em 12 de Julho pp., entre José Manuel Santos, presidente da Colômbia, e Timoleon Jimenez, encontrou esta noite  a cúpula triunfal onde foi içada ao mundo a bandeira da  Paz – uma suspirada Paz, após mais de meio século  de luta fratricida e encarniçada entre o auto-denominado “Exército do Povo” e o Exército colombiano. Os 7.500  guerrilheiros enterram as  metralhadoras assassinas e preparam-se para homologar o acordo histórico na próxima  Decima Conferência Nacional  Guerrillera, a realizar-se entre 13 e 26 de Setembro pf., a que se seguirá o plebiscito a toda a nação colombiana, marcado para 3 de Outubro.
Seja qual for o desenrolar dos acontecimentos e sejam quais sejam as desconfianças e os vitupérios contra esta decisão, ficam de pé as emocionantes afirmações conjuntas de Timoleon Jimenez e Juan Manuel Santos:
“Nunca mais os pais enterrarão filhos e filhas mortos na guerra… Começa a nova história da Colômbia…  Neste 29 de Agosto calaram-se os fuzis, definitivamente…  Acabou a guerra contra  as FARC”.
 Com uma visão optimista e catártica do fenómeno ocorrido, a correspondente do El Mundo em Bogotá, Salud  Hernandes Nora, descreve e enfatiza: “Nem o Papa Francisco, nem Ban Ky-moon, nem Barak Obama, (figuras que tanto apoiaram o processo de paz que se negociou em Cuba) lograram demover um centímetro  as hostes do anterior presidente Alvaro Uribe, opositor acérrimo a este acordo”.
 Verdade amarga que  a experiência comprova:  muitas são as tréguas que tão depressa se proclamam e mais depressa se apagam. Mas eu creio na alvorada que nasceu à meia-noite deste 29 de Agosto de 2016! A dura caminhada dos dois exércitos e o sangue derramado  entre a população camponesa e a oficialidade colombiana  terão sido a tinta rubra  que firmou este Acordo. É que não se pode viver e morrer sempre sempre  entalados entre quatro tábuas de baionetas de guerra. A luta ideológica, essa é interminável e é ela o antídoto mais eficaz contra o apodrecimento das sociedades. Mas a luta armada e  as facções irredutíveis, incapazes de  encontrar o senso e consenso indispensáveis ao meio ecológico onde se possa respirar, mesmo entre ventos adversos, - essa estratégia do “dente por dente e olho por olho” acabará pelo suicídio irreparável, tanto individual como colectivamente.
Em Agosto findo… temos o facho ardente  de dois luminares que vieram  acompanhar a meia-noite de hoje:
Em 26 de Agosto  é a albanesa “Teresa de Calcutá” que traz no berço o 106º aniversário do seu nascimento. E em 28 de Agosto foi o Grande Sonho de Martin Luther King que, em 1963, pela primeira vez,  nos degraus do Lincol Memorial, em Washington, D.C.,    proclamou  o hino à Igualdade  e  à Paz:  I have a dream!
Que enorme Padrinho e que fulgurante Madrinha para a Paz Colombiana! E que ela se expanda por  toda  a América Latina!

29.Ago.16

Martins Júnior