sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

NA PASSAGEM DE NÍVEL: DEZEMBRO/15-JANEIRO/16


Não rasgues a folha do calendário
É nela, a mesma,
Que deixarás de novo a tinta do diário
Os passos de outrora
Os de janeiro a dezembro
E os  de dezembro a janeiro
E mesmo que a atires fora
Por descartada e partida
Tu ficas sempre inteiro
Aparo e tinteiro
De uma só vida

Nem te cubras da argila
Que transfigura a derme
Não há bisturi que reconstrua
O sangue de uma vida tua
Toda tua

Nem ponte nem passadiço
Separam os anos e os dias
Em ti em mim
Estão a ponte e o feitiço
Do Dia Novo
E mais que estrelas mil desçam ou subam
No instante que a  noite ilude
É no meu dentro
Onde mergulho e me concentro
É lá que a tumba desabrocha em juventude

Em cada manhã
Em cada tarde
Em cada noite
Semeia em ti canteiros de esperança
Jasmins e malmequeres
E serás sempre a nova criança
Nascida na madrugada primeira

Outra folha não queiras
Fogo fátuo não alcances
Derme estranha não esperes…
Ano Novo é só quando tu quiseres!

01.Jan.16
Martins Júnior